Notas sobre o desperdício 

OVÍDIO, Lara. Notas sobre o desperdício: uma investigação sobre a experiência do tempo na contemporaneidade. ARTE & ENSAIO (UFRJ), v. 34, p. 81-91, 2017.

Resumo: Este artigo investiga o uso do tédio e da espera na arte contemporânea como possibilidades de resistência a um tempo acelerado, homogêneo e vazio. A discussão das obras e ideias abordadas se constrói por meio de fragmentos que desejam resistir ao imperativo de eficiência do tempo que questionam. | Tempo, tédio, espera, arte contemporânea.

NOTES ON WASTE: AN INVESTIGATION INTO THE EXPERIENCE OF TIME IN THE CONTEMPORANEITY

Abstract: This paper investigates the use of boredom and wait, in contemporary art, as possibilities of resistance to an accelerated, homogeneous and empty time. The discussion of the works and ideas addressed here is built around fragments that wish to resist the imperative of time efficiency. | Time, boredom, wait, contemporary art.


Catálogo do VIº prêmio Diário Contemporâneo

As imagens de Lara Ovidio, em Territórios Perecíveis, parecem ter saído de uma caixa de guardados e dispostas aleatoriamente como quem procura algo que se perdeu. De fato, a artista monta suas fotografias, objetos, textos, como quem recolhe fragmentos seus, pequenas amostras que atestam sua presença no tempo. Todos são índices que constituem um ato performático.

[Mariano Klautau Filho]

Com textos de Mariano Klautau Filho, Philippe Dubois e Lívia Aquino.


Territórios Perecíveis | Site Icônica


As coisas banais que nos rodeiam também nos constituem. Às vezes, somos feitos essencialmente delas. Podemos aguardar a oportunidade de um feito grandioso, ou podemos assumir que nossa história será contada a partir dos pequenos acontecimentos. Essa narrativa será um tanto silenciosa, e será feita de uma gramática imprecisa. Porque buscar o lugar certo de cada uma dessas coisas banais é uma ciência que tende ao fracasso. Mesmo assim, é uma espécie de compromisso estético que assumimos com esses objetos que, afinal, nos dão existência. Reunidos em seu equilíbrio precário, eles se tornam monumentos dedicados não aos fatos que almejam uma história universal, mas à singularidade que as coisas efêmeras adquirem quando nos identificamos com elas. No fluxo que a modernidade imprime ao tempo, heróico é cada gesto capaz de participar do instante. 

[Ronaldo Entler]


Café Filosófico - TVU

Neste “Café Filosófico", a professora do Departamento de Comunicação da UFRN, Lara Ovídio, nos fala sobre seus projetos fotográficos, arte, gênero e o tempo.

(Este programa foi ao ar em 12/12/2017, na TV Universitária - TVU/RN). (Canal 5 TV aberta; Canal 17 TV a cabo. Alcance regional.)


Sobre o passo dos dias

OVÍDIO, Lara. Sobre o passo dos dias. Indisciplinas: a arte frente ao urgente. 4º encontro de pesquisadores dos programas de pós-graduação em artes visuais do Estado do Rio de Janeiro. organização: Ivair Reinaldim e Ana Chaves. - Rio de Janeiro: Escola de Belas Artes/UFRJ, 2017. 

Resumo: O trabalho “Sobre o passo dos dias” consiste na execução de uma ação: a leitura performativa de uma coleção de textos que versam sobre a experiência do tempo na contemporaneidade. Os enfoques são diversos: ora se apresentam históricos, ora científicos, ora filosóficos, no entanto, sempre imagéticos. É um trabalho que deseja evocar no espectador uma mistura de sensações ameaçadas pelo modo de vida contemporâneo, como perda de tempo, incompreensão, tédio e dispersão. Ao mesmo tempo, tenta criar, através de um desenho de giz – frágil e efêmero –, um lugar de fala para uma artista mulher e nordestina. Um espaço que conceda finalmente a esse corpo e a esse sotaque a possibilidade de produzir de conhecimento.

Programa: 

1. Desenhar com giz branco um quadrado no chão. 

2. Escrever dentro do quadrado: lugar de fala. 

3. Ler o texto. 

teaser da performance


Projeto Nós

Ciclo de entrevistas realizado pelas artistas Lara Ovídio e Sofia Bauchwitz com o propósito de dar visibilidade à produção de arte contemporânea realizada na cidade de Natal, assim como, de criar espaço para o discurso do artista. O primeiro ciclo aconteceu de maio a setembro de 2017. Os textos foram publicados na plataforma de cultura potiguar Apartamento 702.

Uma mesma pergunta insiste em aparecer: É possível ser artista em Natal? 


PHMuseum

She tries to find the days that have gone by.